Blog do Oráculo – Villa Lobos e a semana da Arte Moderna.

Olá a todos, sejam bem-vindos ao blog Oráculo EMMP.

Você sabia que março era considerado o primerio mês do ano na Roma Antiga, e que seu nome é derivado de Martius/Marte, o Deus da Guerra? E que na lista de personalidades nascidas neste mês temos, entre outros, Renato Russo (dia 27), Elis Regina (dia 17) e o Maestro Heitor Villa-Lobos (dia 5)?

Estas e muitas outras curiosidades, acontecimentos e pitacos sobre música e cultura em geral estarão presentes neste espaço.

Nesta primeira edição falaremos sobre Villa Lobos e a sua participação na Semana de Arte Moderna que aconteceu em fevereiro de 1922 no Theatro Municipal de São Paulo, movimento que reuniu artistas de diferentes vertentes, destacando-se, entre outros, o escritor Oswald de Andrade e a artista plástica Anita Malfatti.

O Maestro nasceu em 1887 na cidade do Rio de Janeiro e desde criança teve contato com a música através de seu pai, músico amador, que recebia na residencia da família a visita de muitos músicos; ao mesmo tempo ele exigia do filho o estudo da música clássica. Pouco depois a família mudou-se para Minas Gerais e um jovem e rebelde Heitor fugia para ver as rodas de viola, fugas que continuaram quando a família voltou ao Rio, agora para frequentar as rodas de choro que aconteciam por toda a cidade. Na época os intelectuais torciam o nariz para a música brasileira (o violão chegou a ser criminalizado) e reconheciam somente a música europeia.

Em 1905 viajou ao nordeste e interessou-se ainda mais pelo folclore e em 1907 compôs *Canto Sertanejo”, matriculou-se no Instituto Nacional de Música e em seguida passou a tocar violoncelo, piano e outros instrumentos em teatros e cinemas. Dessa época em diante sua produção se avolumou e realizou recitais com suas obras, recebendo críticas por suas influencias da musica popular.

Daí para se apresentar na Semana de Arte de 1922 foi um pulo: um dos ideais do Modernismo era a criação de uma identidade nacional. Apesar de recusar a participar de qualquer movimento foi no Modernismo em que encontrou artistas de outros segmentos que se identificavam com aquele conceito de nacionalismo. Várias composições foram executadas durante a Semana tendo como destaque “Danças Africanas” que apresenta toda a diversidade de influências do compositor.

A importância de Villa lobos é enorme: com uma obra de mais de 1056 obras classificadas ele foi colocado pelo presidente Getúlio Vargas como responsável pela Superintendência de Educação Musical e Artística (SEMA), sendo reconhecido mundialmente e sendo mestre de muitos compositores brasileiros destacando o nosso querido Tom Jobim.

O gênio de Villa Lobos é indiscutível e deve-se tomar cuidado ao classifica-lo como “descobridor” ou “criador” porque o chorinho, o samba canção e outros estilos já existiam mas não eram reconhecidos.

 

Um grande abraço do Oráculo!!